Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível.

sábado, 8 de julho de 2017

A CULTURA POPULAR EM LUTO: BOB MOTTA PARTINDO DESSA VIDA MERGULHOU NA MANSÃO CELESTIAL




Um poeta matuto conhecido
Com memória possante e redobrada,
Sua voz ficará sendo lembrada,
Como o grito de um povo tão sofrido.
Uma vez escutei o seu pedido
Num evento da nossa capital,
Quis dizer um poema lirial,
A plateia escutou embevecida:
Bob Motta partindo dessa vida
Mergulhou na mansão celestial.

Quantas vezes na Casa do Cordel
Adentrava falando sobre fé,
Abraçando o colega Abaeté,
Conversava bastante o menestrel.
Na partida de Adele, bebeu fel,
Chorou triste nas ruas de Natal,
A saudade ficou torrencial,
Mas agora também fez despedida:
Bob Motta partindo dessa vida
Mergulhou na mansão celestial.

Junto a Riva mostrava poesia
No silêncio das frias madrugadas,
Hoje lembro dos versos e piadas
Que contava na rádio todo dia.
Só restou o lençol da nostalgia
Nessa lei que é tão dura e tão brutal,
Tira o homem de forma natural,
Produzindo no peito uma ferida:
Bob Motta partindo dessa vida
Mergulhou na mansão celestial.

Hoje muitos poetas brasileiros
Vertem pranto por esse trovador,
A cultura perdeu mais um condor
Para o grupo dos anjos mensageiros.
Permanecem poemas verdadeiros —
Lindas flores de cada recital,
Perfumando a tristeza desleal
Que massacra de forma tão sentida:
Bob Motta partindo dessa vida
Mergulhou na mansão celestial. (Poeta Marciano Medeiros)
←  Anterior Proxima  → Inicio

OLHA A HORA

VOCÊ ONLINE

FAN PAGE, CURTA

SIGA-NOS NO TWITTER

CLIC E VEJA OS FATOS HISTÓRICOS POR DATA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VISITAS PELO MUNDO

AS SETE MAIS LIDAS

CADASTRA SEU E-MAIL